[Resenha da Gutenberg] "Confissão" da Paula Pimenta

sábado, janeiro 17, 2015




"Confissão" é um livro escrito pela autora Brasileira Paula Pimenta, autora de "Fazendo meu Filme", "Minha vida fora de série", "Apaixonada por palavras", "Apaixonada por histórias", "Princesa adormecida" e outros. Tem 77 páginas e a diagramação é muito meiga! A capa são umas cartas amarradas com um laço e o título e o laço roxo tem verniz em cima. No verso há cinco depoimentos de adolescentes contando com a autora mudou a vida delas. As páginas foram impressas em papel couche, bem lisinho, coisa que adoro, pois odeio papel reciclado já que me dá alergia na pela



Ela havia escrito essa coletanea de poemas quando era mais nova, há cerca de 14 anos atrás, em 2001, e por isso ela quase não deixava publicarem, pois já não se identificava mais com a pessoa que ela era na época que escreveu. Nele há alguns poemas que já foram usados no "Minha vida fora de série", feitas pelo personagem Rodrigo. A maioria são poemas romanticos, outros melancólicos, sobre foras.




Minhas favoritas são: "Você do nada", "Despertar", "Vida independente", "insonia", "beijo de sonho", "realidade", ""depois", "nostalgia", "angustia", "vicio", "princesa", "lua", "para sempre com você". Paula Pimenta começou escrevendo esse, e é formada em Publicidade, mas gosta mesmo é de escrever. Gosta de cantar, tocar violão, brincar com seus dois gatos e seis cachorros.
























[Resenha da Gutenberg] "Mate-me quando quiser" de Anita Deak

sexta-feira, janeiro 16, 2015


"Mate-me quando quiser" foi escrito pela Brasileira Anita Deak, que nasceu em Belo Horizonte em 1983, foi criada no Rio de Janeiro e atualmente mora em São Paulo e é formada em Jornalismo pela PUC-RJ. Já trabalhou na editora Abril e na Folha de São Paulo. Ganhou o prêmio Abril de Jornalismo e o Premio de Jornalismo pela Associação Brasileira de Educação, ambos ganhados em 2010. "Mate-me quando quiser" é seu primeiro livro, e foi finalista do prêmio Sesc de literatura 2013. O livro é um romance policial.  



A capa já chama a atenção por ter uma foto panoramica de Barcelona na Espanha e as laterais serem manchadas de tinta vermelha, para lembrar sangue. O livro tem quatro partes. Começa com Souza, um assassino particular, indo para uma nova cidade (Barcelona) pois recebeu um pedido inusitado: uma mulher, denominada no livro simplesmente como "Mulher", que quer ser morta, lá, dentro de um mês. Ele aceita a missão e decide, antes de tudo, conhecer o lugar e arranja um emprego em uma loja de jóias.



Se interessa pela vida do dono da loja, denominado como "Homem", e passa a seguí-lo. Souza conhece as duas mulheres do chefe, a Loura e a Morena, dois casos extraconjugais que ele teve ao mesmo tempo, por isso elas tem crianças em faixa etárias próximas. O curioso é que a Mulher, na hora que Souza saiu para seguir o chefe, também o seguiu, ou seja, uma hora na história ela passa a ser melhor amiga de uma delas. É muito interessante ver os casos de intriga que acontecem depois que os dois stalkers passam a socializarem-se com as amantes desafortunadas. Eu gostei muito do livro, principalmente das cenas comicas com as crianças das duas esposas, uma que gosta de roubar comida do prato das visitas e outra que é um pequeno genio; e é tragicomico quando o chefe desabafa sobre como a mãe dele costumava tratá-lo antes de morrer e como tratava sua família. A autora escreve de uma maneira única, com cada capítulo contando sobre Souza e outro sobre a Mulher, dividido em 4 partes.




Eu o recebi pela parceria da editora Gutenberg, que foi muito legal por enviá-lo para mim, mal espero para resenhar o próximo. Deak é uma escritora com grande potencial de talento!









[Resenha] Simplesmente Tini - a biografia de Martina Stoessel, a Violetta

sábado, janeiro 03, 2015


Simplesmente Tini - é a autobiografia da atriz Martina Stoessel, de 17 anos, atriz da novela Violetta, que passa no canal Disney Channel e na Band. O livro contém um grande matérial fotografico da atriz, e alterna entre uma foto e um depoimento, por isso acabei-o em 2 dias, enquanto eu fazia minha escova inteligente. Começa com um texto dos pais, Alejandro e Mariana, que contam como foi a infancia desde que ela era uma bebê nascida no outono, dia 21 de Março de 1997, as 19:30, pesando 2 quilos e setecentos, e que a mãe pensou em chamá-la de Sofia e de Olivia, mas como o pai gostava do nome Martina, foi escolhido esse. A própria atriz faz revelações cômicas, como a que ela chupou mamadeira até os 7 anos e o dedo até os 12 anos para conseguir dormir.


Desde os 6 anos ela já gostava de atuar e se fantasiar, e estudou por 3 anos comédia musical, canto, dança, hip hop e ginástica esportiva. Era fã de Hannah Montana e Feiticeiros de Waverly Place, mas sua queda era por Patinho Feio, novela em que seu pai Alejandro Stoessel foi produtor. Há um capítulo sobre a amizade com a mãe, e revela que a mãe é uma daquelas adoráveis mulheres que só falam com quem quer. O pai é produtor de novelas juvenis, e Tini sempre avisou para ele que tudo o que queria ser era uma atriz famosa. Ele sempre foi contra, pois o estrelato é um caminho sem voltas. Tini tem um irmão 1 ano mais velho, o Francisco, e dos 10 aos 13 anos eles viviam brigando, entretanto ao entrarem para a adolescencia se ajeitaram. Fran é ciumento e não gosta que os meninos cheguem perto. Ela é mais chegada aos avós maternos, porque o avô paterno mora em Cordoba e a avó paterna já morreu. Tini tem 4 melhores amigas que ainda mantem desde o colégio.



Apesar de seu pai ter escolhido ela desde o começo para protagonizar a novela que ele ia sugerir produzir para o Disney channel, a equipe ainda pediu que ela fizesse um teste no qual ela teve que cantar "Lo que fui" da Demi Lovato e interpretar algumas cenas de Esperanza Mia, que mais tarde passou a se chamar Violetta.



A equipe da DC revelou que a achava muito talentosa e escolheu-a. Outra música que ela teve que cantar durante o teste foi "Lucha por tus sueños". Teve que abandonar a escola, mas não ficou triste, pois nunca gostou de matemática e leitura. Se sentiu intimidada no começo das gravações quando ela tinha 14 anos, pois todos tinham mais de 18 anos. Entretanto, lutou, se superou e conseguiu ser uma pop star da Disney. Gravou as versões Espanhola e Italiana de Let it go, tema de Frozen.











[Poema do mês] Emily Dickinson - I never saw a moor

quinta-feira, janeiro 01, 2015



Emily Dickinson : I never saw a moor

I never saw a moor,
I never saw the sea;
Yet know I how the heather looks,
And what a wave must be.

I never spoke with God,
Nor visited in heaven;
Yet certain am I of the spot
As if the chart were given.

Emily Dickinson (1830-1886)


Eu nunca vi uma charneca
Eu nunca vi o mar;
Tampouco sei como as urzes se parecem,
e como uma onde deve ser.

Eu nunca conversei com Deus,
ou visitei o céu;
De certo ainda não sou desse local
Como se o projeto fosse dado.

Descobri os poemas da Emily Dickinson no site do Kobo, por onde baixei um ebook com poemas dela de graça, e ainda vinham páginas rabiscadas por ela (não que desse para entender muita coisa -.- ) . Ela foi uma poetisa que nasceu no Estados Unidos, viveu de 1830 a 1886, em Massachusetts, que morreu prematuramente com 55 anos. Ela escreveu sobre temas bem modernos para a época que ela viveu.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...